Um pouquinho mais...

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Pontes de palitos e amendoins...

Nesse final de semana que passou (12 e 13/11) fomos, Maurilio e eu, para Curitiba/PR, para um inusitado tour por lojas de quinquilharias e materiais, ciceroneados pelo nosso amigo, o designer Eduardo Dognini. Foi um passeio muito, muito legal e interessante. Sobre esse tour vocês podem ler mais no blog do Bugstudium.

Mas eu quero contar algo que nos deixou muito felizes! De ficar entusiasmado, de dar risada e ficar com olhos brilhando!
No domingo fomos passear na tradicional feirinha do Largo da Ordem, programa imperdível para quem visita Curitiba...




No fundo, queríamos ver se encontrávamos Hélio Leites, um artista de Curitiba que tem uma barraca nessa feira, que está enorme. Andamos, andamos e nada! Ainda por cima caía uma chuvinha fina...

Sabe quando a gente admira muito, muito mesmo as ideias e o trabalho de um artista. É como um encantamento pois as ideias ou as obras dessa pessoa fazem todo o sentido e tem a ver com aquilo que se acredita! E a gente começa a querer conhecer esse artista.

Pois aconteceu!!!!!

Eu estava posando para uma foto na porta dessa loja de artesanato, e daí eu vi!!!! Atrás do Maurilio que estava tirando a foto, eu vi a barraca do Hélio Leites!!!!


Era ele mesmo! Inconfundível com seu bom humor e seus cabelos que viram desenhos: antenas, Salvador Dali, cataratas do Iguaçú






Há alguns anos temos ouvido falar de Hélio Leites, um artista de Curitiba, identificado pelo poeta Paulo Leminski como "Significador de Insignificâncias".

Hélio Leites se considera um artesão, o que é sem sombra de dúvida mas ele transcende os limites entre as hierarquias das expressões artísticas, ele é artesão e é artista e principalmente é ele mesmo.

Canonização de Santa Helena Colody.  Helena Colody foi uma poetisa paranaense.

Suas obras são feitas a partir de objetos que foram jogados fora. No entanto a poética dele não se baseia na reciclagem mas na ressignificação dos objetos e materiais. Não se trata apenas da reutilização de materiais, mas da criação de uma nova história a partir de uma história que já foi contada e estava prestes a ser esquecida...



Presépio engraxadinho

Um dos muitos presépios. Esse tem uma ovelhinha malabarista.




Santo remédio - no conta-gotas, de um lado São Francisco e do outro Santo Antônio.

Na latinha, uma homenagem à Diane dos Santos, com direito a uma performance!

Chinélio o sonho inventa o caminho - sapatinhos de casca de amendoim para caminhar nos sonhos. É uma maletinha de caixa de fósforo. Dentro, além dos chinelinhos, uma semente de girassol... Lembrei de ti, Marion!

Foto com o artista! Olha a honra de posar com o óculos de garfos dele!


O Maurilio usou os óculos de colheres para fazer pose com Hélio Leites!



Para saber mais,

http://tvcultura.cmais.com.br/provocacoes/bloco-01-provocacoes-cmais-2

http://tvcultura.cmais.com.br/provocacoes/bloco-02-provocacoes-cmais-1

http://tvcultura.cmais.com.br/provocacoes/bloco-03-provocacoes-cmais-3

Nós compramos o livro  e como dedicatória Hélio Leites escreveu:

"Aceitem por favor esse álbum de figurinhas descombinadas contando a historia de um artesão que sonha consertar o mundo criando pontes de palitos e amendoins entre as pessoas."

Foi uma experiência muito legal que vivenciamos!


Ah! E amanhã iremos a Pomerode, assistir a uma super power palestra com Marcelo Rosenbaum, Ronaldo Fraga e Carlos Perrone , organizada pelo Instituto Orbitato, onde faço a minha pós em Direção de Criação. Uma nova oportunidade de conhecer profissionais que admiramos! Não é o máximo???  Então preparem-se que na semana que vem tem post sobre esse encontro de feras!

5 comentários:

Marion disse...

Ai que suuuuuuper! Eu nunca tinha ouvido falar (pode?). É demais tudo isso, muito, mesmo. Amei a sapatilha... e os presépios... e tudo!!!! Abs. MArion

Decor Invencionices disse...

Nossa...realmente ele é um artista. Fico admirada de quantas pessoas como ele não tem o devido reconhecimento... bj

Claudia (Perfeita Ordem) disse...

Esse é um artista de verdade Sandra,pena que poucos conheçam sua arte.
Eu mesma morei em Curitiba e nunca havia ouvido falar nele.
Vou comentar sobre ele com meu sobrinho e minha irmã que moram lá.
A próxima vez que eu for à Curitiba já tenho um passeio programado.
Beijo minha amiga,fique com Deus,tenha uma linda semana!

Jô Bibas disse...

Sandra, adorei encontrar o teu blog e esse post em particular. Amo coincidências! Sou de Curitiba, com família em Blumenau e vivo passeando por aí. Sou fã incondicional da Feira do Largo da Ordem e vou sempre que posso. E sou fã também do Hélio, das coisas que faz e principalmente das histórias que acompanham cada peça. Dá pra ficar horas escutando a explicação de suas obras. No meu blog até tem um vídeo com ele, bem bacaninha:
http://arteamiga.wordpress.com/2011/04/04/pela-ordem-mais-caixas-de-madeira/
Bom fim de semana,

www.arteamiga.wordpress.com

Ilaine disse...

Sandra!
Perdoe a demora!

Menina... que cidade linda!
Conheci Curitiba, faz tempo... Amei!

Beijo grande!